arquivo

Arquivo mensal: outubro 2013

Faz quatro anos que a artista joalheira Miriam Mirna Korolkovas utiliza a madeira como matéria prima para o seu trabalho. Ela dá prioridade aos restos encontrados em caçambas de lixo e nos parques de São Paulo – restos de poda ou madeira que cai naturalmente das árvores. “O artista é curioso para conhecer os limites dos materiais”, explica ela, que trouxe à Joya – Barcelona Contemporary Jewellery Fair a mostra Matéria + Mão + Mente: Madeira, com trabalhos de outros sete artistas brasileiros, além de uma peça sua.

Para este grupo de artistas, a escolha da madeira traduz uma preocupação social, política e econômica, uma maneira de alertar ou avisar que a depredação das florestas tem o mesmo significado – ou é inclusive pior – que a exploração do ouro e das pedras preciosas na época da colonização.

A madeira, claro, não é  uma exclusividade brasileira, e artistas de distintas procedências apresentaram em Joya suas versões e interpretações para este material, cada vez mais valorizado dentro da joalheria de autor.

Amani Boudargham, Alchimia (Itália)Jorge Manilla (México)Jorge Manilla (México)Laia Almató, Massana (Barcelona)Andrea Coderch, Context (Barcelona)Marcos Honorato (Chile)
Marcos Honorato (Chile)Anna-Karin Andersson, Universidade de Gothemburg (Suécia)Sofia Gomes, AORP - Associação de Ouriversaria e Relojoaria de PortugalRenata Meireles, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Seizo Soares, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Seizo Soares, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)
Seizo Soares, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Sandra Manin, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Nina Lima, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Sandra Manin Frias, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Rubens Matuck, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Rubens Matuck, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)
Marina Sheetikoff, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Miriam Mirna, Matéria + Mão + Mente: Madeira (Brasil)Amani Boudargham, Alchimia (Itália)Amani Boudargham, Alchimia (Itália)

Joya 2013: Madeira, a set on Flickr.

Anúncios

Point de Fès é tendência ideal para o verão, com uma bela história social: típico do Marrocos, é uma técnica feminina, ensinada principalmente de maneira oral http://ow.ly/q8X2i via @PremiereVision @pinterest

Uma das características da seleção de obras de Joya – Barcelona Contemporary Jewellery Fair é a aposta em artistas experimentais e conceituais. A última edição (17-19 de outubro) destacou o trabalho do mexicano Jorge Manilla, descrito por Paulo Ribeiro, curador da mostra, como “a coroa” de Joya 2013.

Manilla apresentou trabalhos em metal, resinas, fios de algodão, porcelana e uma série em vinil feita a partir de uma técnica de escultura às cegas. As peças em forma de colares foram desenvolvidas dentro de uma caixa de madeira, com diversos materiais como primeiro molde: barro, troncos de madeira.


“Durante a confecção do molde, não via o que estava fazendo. Quando sentia, com as mãos, que havia conseguido uma forma que me fazia sentir bem, enchia a caixa com espuma de vedação. Isso trabalhava ali dentro, a caixa fazia ruídos, o material se expandia. Finalmente, esse molde era recoberto com vinil derretido”, explicou Manilla, que realizou uma concorrida conferência durante a mostra. 

O trabalhoso processo do artista também está marcado na série de anéis em metal, que chegam a passar por até nove acabamentos diferentes.

A última edição da Joya – Barcelona Contemporary Jewelery Fair (17-19 de outubro) reuniu 215 artistas joalheiros de 35 países – quando foi criada, em 2007, era um showroom com 14 artistas.

Nestes seis anos de existência, o projeto se transformou em uma feira internacional de tendências graças ao trabalho de curadoria desenvolvido pelos fundadores da mostra, Paulo Ribeiro e Anthony Chevalier. “Em Joya realizamos um trabalho de comissariado, de curadoria. Nosso objetivo não é vender quantidade, mas despertar desejos”, destacou Paulo em entrevista a Mongush/MyShopInBarcelona.

Paulo Ribeiro, Joya-LeDépartement

Brasileiro radicado em Barcelona, Paulo é arquiteto e sócio da Le Département, empresa dedicada à criação e ao desenvolvimento de espaços para feiras de moda, com atuação em toda a Europa, e organizadora da Joya. Seu trabalho de seleção e curadoria dentro da feira é uma aposta pela criatividade e pelo sentimento. “Joya é um projeto pessoal e uma experiência para o público. Eu acredito em cada peça, cada coleção, cada artista e cada coletivo que apresentamos”, define. 

La Basílica

Desde 2010, Joya comparte a Semana de Joalheria de Barcelona com Espaijoia – Encontro de Joalheiros do Mediterrâneo, uma iniciativa de caráter comercial organizada simultaneamente à mostra de arte joalheira. Para reforçar a parceria, este ano Paulo Ribeiro e Anthony Chevalier focaram a seleção em artistas do sul da Europa e da América Latina. “Conseguimos reunir os melhores destas regiões durante esta semana em Barcelona”, garante Paulo.

Brasil na Joya 2013

Além da mostra no Convent dels Àngels (FAD), um total de 14 galerias e espaços de arte apresentaram obras de artistas joalheiros no circuito Off Joya.

Context na Joya 2013

Estão abertas as inscrições para o Festival Hyères de Moda e Fotografia 2014, que entra na sua 29ª edição.

A finlandesa Satu Maaranen foi a ganhadora do Prêmio do Juri Première Vision na edição de 2103. Sua coleção feminina, Garment in Landscape, inspira-se no paisagismo artístico, na camuflagem poética e na alta costura dos anos 60. Através de volumes e materiais naturais e pouco usuais, a artista questiona as relações entre natureza e vestimenta, moda e paisagismo.

O trabalho foi apresentado durante a última edição da Première Vision (17-19 de setembro) em Paris.

O designer Cristiano Bronzatto foi convidado pela Vicunha a interpretar sua coleção de denims e sarjas, e este foi o resultado: uma coleção Louloux exclusiva para a Vicunha, misturando tecidos, detalhes vernizados e texturas metalizadas. Os modelos são prototipos e serão apresentados no showroom da Vicunha para ilustrar o espírito da sua coleção outono/inverno 2014 que inclui xadrezes, arabescos e animal prints.

 

 

Esta semana o portal Usefashion publicou minha cobertura sobre a Première Vision Pluriel, que aconteceu entre os dias 17 e 19 de setembro em Paris. Quem tiver assinatura, já pode conferir aproximadamente 3000 imagens exclusivas realizadas nos 20 fóruns e espaços de tendências das 5 feiras e em mais de 80 estandes.

Obrigada à organização da Première Vision Pluriel por facilitar a realização deste trabalho e à Usefashion por confiar a tarefa a mim há cinco anos!